quinta-feira, 11 de agosto de 2016

alhos & bugalhos
Subsídios de vereadores itajuípense poderá ser fixados em R$ 7.500
Resultado de imagem para camara de itajuipe
A Mesa da Câmara Municipal de Itajuípe despachou na sessão ordinária realizada hoje (11), para as comissões, o Projeto de Lei 05/2016, que fixa em R$ 7.596,67, a remuneração dos vereadores itajuipense, para a legislatura a iniciar-se em 1º de janeiro de 2017, O valor corresponde a trinta por cento, daquela recebida pelos integrantes da Assembleia Legislativa. 

Já os subsídios do Prefeito e do Vice Prefeito, apresentados no Projeto de Lei 06/2016, poderão ser fixados em R$ 17.725,57 e R$ 8.862,78, respectivamente, os secretários municipais poderão perceber R$ 5.000,00.

O salário do prefeito corresponde a setenta por cento do valor recebido por um deputado estadual. 

Os projetos serão analisados pelas comissões e após encaminhando ao plenário para aprovação. Fonte: www.camara.itajuipe.ba.io.org.br

 


Só vereadores podem deixar prefeitos inelegíveis, diz STF


 

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (10) que só uma câmara de vereadores pode tornar inelegível um prefeito que teve suas contas rejeitadas por um tribunal de contas. Assim, para ficar impedido de disputar um outro cargo eletivo, não bastará a desaprovação pelos tribunais, que auxiliam o Legislativo na análise dos gastos. Em 2010, a Lei da Ficha Limpa determinou que ficariam inelegíveis candidatos que tiveram contas rejeitadas “pelo órgão competente”. A dúvida se dava em relação a qual órgão caberia tal decisão: se somente a câmara municipal ou também um tribunal de contas. Desde então, o entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) separa as contas em dois tipos: as contas de governo (com números globais de receitas e despesas) e as contas de gestão (mais detalhadas, em que o prefeito também ordena gastos específicos, por exemplo). Assim, a Justiça Eleitoral considerava que a desaprovação de contas de gestão (mais detalhada) por um tribunal de contas bastava para declarar a inegibilidade, mesmo com aprovação posterior pela câmara dos vereadores. A exigência de desaprovação pela câmara para tornar alguém inelegível só valia para casos em que estivesse sob análise as contas de governo (mais gerais). Na sessão desta quarta, os ministros do STF analisaram ações de candidatos que ficaram fora de uma disputa por terem contas rejeitadas somente por tribunais de contas e que queriam se habilitar para as eleições, alegando a necessidade de decisão pela câmara dos vereadores.

BRUTAL PROMOVE WORKSHOP EM KETTLEBELL EM PORTO SEGURO


 Cartaz workshop Brutal em Porto Seguro

O educador físico e coach da Brutal, João Rosário, apresenta neste sábado (13), no CT Core Team, em Porto Seguro, o Workshop de Treinamento Funcional, com abordagem do uso de ferramentas não convencionais como corda, kettlebell e argolas. O evento é uma realização XPRO Training e Lucas Oliveira e se destina a professores de Educação Física e profissionais de de academia e treinadores de atletas.

Referência no Brasil em kettlebell e coach de atletas de destaque no kettlebell sport e MMA, João Rosário vai compartilhar técnicas de como utilizar ferramentas eficazes e milenares num treino completo. O treinamento com esses equipamentos busca restabelecer e aprimorar os padrões motores naturais, prevenindo lesões e melhorando consideravelmente o desempenho atlético, alcançando assim resultados sólidos em curto prazo.

Há sete anos residindo no eixo sul-sudeste do país, João Rosário tem várias certificações internacionais. O educador físico é ex- presidente da Federação Brasileira de Kettlebell Lifting (FBKL) e se tornou referência nesse tipo de treinamento. Está à frente da organização do 1º GP mundial de Kettlebell no Brasil, que será realizado no dia 9 de dezembro, em Curitiba, e planeja levar atletas de Itabuna e região. João Rosário voltou a residir no Sul da Bahia (Canavieiras) trazendo toda a experiência adquirida para colaborar com a promoção do Kettlebell Sport e qualificação de profissionais na região. - Mais Informações: - Xprotraining@gmail.com - (73) 8823-2122 whatsapp

Empréstimos bancários sobem 248,8% em 10 anos, diz Anefac


Resultado de imagem para dinheiro
O volume de crédito no Brasil aumentou 248,8% entre junho de 2006 e junho de 2016, passando de R$ 897,5 bilhões para R$ 3.130,4 bilhões, valor que inclui as operações com recursos livres (disponibilidades dos bancos) e os recursos direcionados (aqueles que as instituições têm a obrigação de reservar para operações determinadas pelo Banco Central como, por exemplo, a canalização de 65% da poupança para a habitação).

Os dados são da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). A pesquisa mostra que, em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas produzidas no país, houve um avanço de 19,5 pontos percentuais. Em junho de 2006, os empréstimos eram equivalentes a 32,4% do PIB e, em junho deste ano, o percentual subiu para 51,9%.

As operações com recursos livres atingiram R$ 1.569,4 bilhões em junho último, ante R$ 447,2 bilhões, em junho de 2006, uma alta de 250,9%. Para as pessoas físicas, o volume passou de R$ 214,2 bilhões para R$ 799,6 bilhões, com crescimento de 273,3%, e, no caso das empresas, de R$ 232,9 bilhões para R$ 769,8 bilhões, um aumento de 230,5%. Também foi constatada ampliação na média dos prazos de pagamento nesses últimos dez anos, passando de 9 meses para 37,9 meses.

O diretor Executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira, observou, no entanto, que apesar da melhora na oferta de crédito nos últimos dez anos, a piora recente no desempenho da economia do país levou a um aumento no custo do dinheiro, na inadimplência e na redução dos prazos para a quitação.

Taxas de juros sobem

Entre junho de 2006 e junho deste ano, as taxas de juros das operações de crédito com recursos livres subiram nove pontos percentuais (de 43,2% para 52,2% ao ano). Para as pessoas jurídicas ocorreu alta de apenas 1,5 ponto percentual (de 28,8% para 30,3%), enquanto para as pessoas físicas houve um avanço de 15,6 pontos percentuais (de 55,8% para 71,4%).

O spread bancário (diferença entre o custo de captação dos bancos e as taxas de juros cobradas dos clientes) teve alta de 11,7 pontos percentuais (de 28% para 39,7%).

Para as empresas, a elevação foi de 4,6 pontos percentuais (de 13,6% para 18,2%). Já em relação às pessoas físicas, o spread aumentou 17,9 pontos percentuais (de 40,6% para 58,5%).

As pessoas jurídicas tiveram prazo médio de 25,9% em junho deste ano, com ampliação de 254,8% sobre o mesmo mês de dez anos atrás quando esse tempo girava em torno de 7,3 meses. Para as pessoas físicas, as instituições financeiras elevaram o período de parcelamento em 374,5%, passando de 11 meses para 52,2 meses.

Inadimplência

Os atrasos de pagamento por um período superior a 90 dias estão maiores, aponta a Anefac. Enquanto em junho de 2006, 4,6% dos compromissos assumidos não estavam em dia, em junho de 2016 a proporção subiu para 5,6% do total das operações.

Em relação a empréstimos tomados por empresas, a inadimplência cresceu de 2,3% para 5,1% e, no caso das pessoas físicas, a proporção caiu, passando de 7,2% para 6,1%. – agencia Brasil


Por hoje é só... Resultado de imagem para charges de convenção partidariasVou bater o martelo: Ponto Final.

Redação o Bolso do Alfaiate

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alerta: Quadrilha aplica golpe em aposentados em Santa Luzia e Região

alhos & bugal hos Bahiater orienta mulheres sobre PAA no Assentamento Loanda , em Itajuípe  A SETAF Litoral Sul, Bahiate re...